segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

"O que queres que eu te faça?" (Mc 10, 51)

A passagem da cura de Bartimeu (Mc 10, 46-52) é uma das muitas mostras que a fé é a chave da graça, é a única maneira de se alcançar algo da parte de Jesus.
Este texto evangélico é rico em mostrar que dificuldades, adversidades, tribulações são próprias da vida humana, porém, como cada um se porta perante essas evidências é que faz o diferencial, pois Bartimeu viveu essas mazelas, além do abandono, da condição subhumana, da miséria..., no entanto, possuía em sí algo que o possibilitou mudar a sua história, ao contrário de tantos outros: ele tinha fé.
Aquele cego demonstrou características essencias à fé que estão presentes na narrativa. Observe que o texto diz que "sabendo que era Jesus de Nazaré, começou a gritar: "Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim" (vers. 47): Bartimeu, primeiramente, demonstrou atitude, viu a possibilidade de ser curado e não titubeou, ao contrário de muitos que perdem a oportunidade de alcançar graça por falta de ação, por vacilação, pela dúvida; estes ficam à beira do caminho a se lastimarem depois por não terem aproveitado a oportunidade.
Em segundo lugar, Bartimeu carregou seus gritos de esperança Naquele que podia mudar a sua condição, daí entender-se as palavras de São Paulo em Hb 11, 1 quando diz que "a fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê". A fé de Bartimeu estava impregnada dessa esperança, e foi o que tocou em Jesus, essa fé potencializada numa certeza que o Senhor podia realizar o milagre. Muitos até gritam, clamam, porém fica na gritaria, no escândalo, no desespero, e nada disso toca o Senhor, pois não está carregada de fé e esperança.
O texto bíblico mostra que aos gritos de Bartimeu "muitos o repreendiam para que se calasse, mais ele gritava ainda mais alto: "Filho de Davi, tem compaixão de mim"" (vers. 48), demonstrado, assim, uma terceira característica importante: a perseverança. Muitos não alcançam a graça por se fazerem calar, por se deixarem desestimular pelas vozes contrárias que muitas vezes dizem: "não vai conseguir; isso é besteira; é perda de tempo...", e realmente desistem de perseverar. Por isto que Jesus dizia "o que perseverar até o fim será salvo" (Mc 13,13).
Ao demonstrar essas características obteve a atenção do Senhor que foi até ele, e ao ficar frente a frente com Bartimeu o Senhor pergunta: "que queres que Eu te faça?" (vers. 51), ou seja, Jesus cobra a fé daquele homem, e ele sem vacilar responde: "que eu veja", Jesus determina: "Vai, a tua fé te salvou" (vers. 52) e o milagre acontece.
Após a cura diz o texto que "ele foi seguindo a Jesus pelo caminho", isso porque a fé depositada em Jesus possibilitou a Bartimeu não somente a cura física, pois Jesus promove uma cura completa. Aquele homem foi curado no seu espírito, na sua alma também, pois, experimentou o amor de Deus, amor que alguém que era mendigo, abandonado, desprezado, rejeitado, certamente não conhecia, pois não sabia o que era ser amado.
Bartimeu foi certamente perdoado, pois alguém que vive uma condição tão triste, provavelmente era alguém que se lamuriava, se lastimava, talvez até blasfemava contra Deus por tal condição; e por fim aceitou a Jesus como seu Salvador por isso o seguiu.
A fé, portanto, é o diferencial para o cristão, pois é ela que chama a atenção do Senhor; aquela mulher do fluxo de sangue (Mt 9, 20) estava, assim como muitos outros, buscando, e conseguiu, tocar em Jesus, mas o toque dela foi diferenciado, tanto que o Senhor questiona: "quem tocou minhas vestes?" (Mc 5, 30); deve-se aprender por estas e outras passagens que é a fé que move Jesus, que chama a atenção, que impele o Senhor a agir e realizar o milagre.
A fé de Bartimeu, com atitude, firme esperança e perseverança deve ser exemplo a ser seguido por todo aquele que recorre ao Senhor Jesus; compreendendo isso a graça acontecerá, indubitavelmente.
Deus te abençoe em nome do Nosso Senhor Jesus Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário